Lições de vida

by Claudinei Bettiol

Eu tenho descoberto vários blogs muito bons ultimamente. A maioria deles na área de desenvolvimento pessoal, empreendorismo, escrita, felicidade, auto-conhecimento, pessoas que fazem o que amam e que conseguem trabalhar de casa ou de qualquer lugar, enfim, assuntos bem legais.

Eu ando pensando muito na reforma da casa e é por isso que montei o blog, pra guardar idéias, pesquisar coisas relativas a isso, enfim.

Mas aí o blog também virou uma página minha de portfólio, com trabalhos e esse tipo de coisa.

Aí é que entra o fato de que além da reforma, existem outras coisas na minha cabeça agora e várias delas estão ligadas justamente aos assuntos dos blogs que citei aí em cima.

Então além de idéias pra reforma da casa e de coisas que acho legais eu quero postar aqui também as coisas que andam na minha cabeça. Essa é uma forma de guardar as idéias, mapear as fases e principalmente, o mais importante de tudo, poder dividir isso com que quer que seja, com quem quer que queira e se der, no final da contas, ajudar alguém.

Então é assim que o rumo das coisas mudam um pouco agora. Novos ventos. Vários ventos.

Então, pra começar, há alguns dias eu me deparei com o Man Vs. Debt que é o blog de um cara chamado Adam Baker. O que li até agora é bem interessante.

Acontece que no último dia 13 foi aniversário do moço e ele resolveu publicar uma lista das 26 coisas que aprendeu em seus 26 anos de vida. É uma lista bem interessante então eu traduzi e resolvi publicar aqui com a autorização dele (ainda estou esperando um retorno dele e caso ele não concorde eu tiro o post do ar).

Segue então finalmente o post do Adam na integra com alguns comentários meus em verde:

foto: gibb

26 Lições que aprendi em 26 anos de vida

Há um pouco mais de um mês atrás eu escrevi o post “3 Lições que aprendi em 3 anos de Casamento”. E serei o primeiro a admitir, eu não estava certo sobre como o post seria recebido. Para minha surpresa, foi um grande sucesso (mesmo sendo um tópico meio aleatório)!

Graças à recepção daquele post, eu decidi que a melhor maneira de celebrar meu aniversário seria refletir. Essa manhã, eu sentei e escrevi as primeiras 26 “lições de vida” que vieram a minha mente. Elas não têm a intenção de ser uma lista mestra. É apenas uma reflexão de muitos eventos em minha vida atualmente.

Eu acredito que você vá conseguir se relacionar com algumas pelo menos!

Lições de vida …  Versão 26.0…

1.Ser pai (e mãe) é mais difícil do que você pensa. Antes de ter filhos, eu costumava me incomodar com crianças choramingando em aviões. Eu costumava pensar “Meu Deus, controle seu filho” em várias situações. Quão difícil pode ser isso? E agora… eu sei. Mesmo com apenas um (que, por acaso é um anjo em 95% do tempo) eu entendo. Não consigo acreditar quão facilmente consigo ficar frustrado às vezes. Não consigo imaginar aqueles com 3, 4 ou 5 anjinhos.

2.Ser marido é mais difícil do que você pensa. Naturalmente, este foi o tema principal no meu post original “3 lições de casamento”. Todo mundo me disse que o casamento precisa de dedicado e consistente esforço. Eu entendi as palavras, mas não  me prendi a elas, porque assumi que éramos uma exceção. Dãã!. (Para esposa segue a mesma regra, é o que aprendi nos meus 2 anos de casamento. É mais difícil do que se pensa, e tem a ver pra mim principalmente com a diminuição da sua liberdade e com a diminuição dos momentos de silêncio, mas até agora os prós ganham dos contras com distância.)

3.Sempre haverá inimigos. Não importa o que você faz ou quanto você dá, sempre haverá inimigos. Eu estou fazendo a promessa de livrar a minha vida (e meu mundo on-line) de todas as forças negativas e não-construtivas. Se você quiser odiar … vá buscar uma reação em algum outro  lugar.

4.Esteja disposto a doar a glória. Uma das melhores maneiras que encontrei para alguém aceitar uma idéia ou conceito é fazê-los sentir como se eles o tivessem encontrado. Muitas das pessoas que eu mais respeito são surpreendentes na partilha e em repassar o centro das atenções quando ele chega. Eles estão constantemente indo pro assento traseiro para construir outros.

5.Você pode fazer qualquer coisa que quiser. Não sério … Você pode literalmente fazer qualquer coisa. Como as crianças, estamos sempre ouvindo isso, mas a maioria de nós rejeita a idéia como bobagem. Não é. No ano passado, eu realmente cheguei a um acordo com isso. Eu posso literalmente fazer o que quiser. Uma parte disso é confiança e outra se trata apenas de ter tido os olhos abertos recentemente. A maior coisa entre você e o que você quer é a pilha de desculpas que você pode acumular. (Estou tentando aprender essa aqui ainda. Com muito esforço.)

6. Poucas decisões na vida exigem investigação intensa. 90% da investigação / recolhimento de dados é um desperdício de tempo. Eu encontrei esta verdade em minha vida pessoal e certamente verifiquei isso nos meus negócios. Quase sem exceção, eu analiso demais todas as decisões que tomo. Pare de falar … pare de pensar … pare de planejar… comece a agir. (Pensando sobre essa também, mas faz muito sentido.)

7. Investigar intensamente qualquer decisão que limite uma grande quantidade de sua liberdade. Como regra geral, quanto maior a liberdade em jogo em uma decisão, mais eu vou pesquisá-la. A verdadeira razão é que eu estou ok  se a investigação conduzir a uma indecisão nos casos em que a liberdade está em risco. Comprar uma casa, decidir ter filhos, ou aceitar um novo emprego de 80 horas por semana de trabalho, por exemplo. Não é realmente uma coisa má pensar duas vezes nesses casos. Coisas para parar de analisar? O fim de semana perfeito para acampar, um novo produto / serviço que deseja lançar ou se deve ou não deixar os seus filhos pintam o quarto de rosa neon. Deixe.

8. A maioria das pessoas pensa que está acima da média. Eu sempre me relembro desse fato. Por natureza, tendemos a superestimar nossas próprias habilidades e / ou contribuições. Não só isso, mas estamos muito menos conscientes das contribuições das outras pessoas. Eu faço isso e você também. Então, reconheça. Saia do seu caminho para agradecer as pessoas nas coisas que você percebe.

9. O melhor feedback que você vai ter é quando tentar vender algo para alguém. Portanto, esta é uma questão puramente ligada ao empreendorismo que aprendi. Volta ao # 7. Os dados / feedbacks mais valiosos que você vai ter é depois de lançar um produto, serviço ou idéia. Seth Godin se refere a isto como “shipping it”.

10. Pessoas automaticamente desvalorizam tudo o que conseguem de graça. Enquanto estamos no assunto, tenha cuidado com o que você dá de graça. Isto pode ser aplicado além dos negócios, também. Família, amigos, clientes, colegas … Nós automaticamente damos mais valor para as coisas que temos de pagar (seja com dinheiro, tempo, esforço ou energia). Dê algo para alguém de graça de forma consistente e logo começam a esperar por isso…

11. Em vez de ensinar as crianças a estudar conceitos, devemos ensiná-las a resolver problemas. Eu não vou mergulhar em demasia nisso, sei que é um tópico insanamente profundo e polarizado. Courtney é muito mais preparada para discutir sistema de ensino inteligentemente. No entanto, eu não tenho certeza que ensinar as crianças a “estudar” um conceito (algo que muitas vezes está em uma fraqueza) é uma abordagem que faz crescer. Em vez disso, eu adoraria ver a gente tocar mais nos pontos fortes das crianças (quaisquer que sejam individualmente) e centrar na obtenção de soluções para os problemas. (Não sei se concordo interamente com essa. Acho que o melhor é o caminho do meio. Extremos são geralmente ruins.)

12. Escolher os mentores corretos é o fator  # 1 mais importante para o sucesso de qualquer tipo. Copiar um mentor é o caminho mais rápido para o sucesso. Não importa se você está escalando a escada corporativa, começando um negócio baseado na web, jogando basquete profissional, ou a estudando religião. Você tem que encontrar o seu Branson, seu Jobs, seu Jordan, seu Jesus ou seu Buda. (Só acho importante adicionar que mentores são bons exemplos a seguir. Fé cega nunca é bom. Não sei porque lembrei do pessoal do Lost… :-))

13. Cerque-se de pessoas que o inspiram. Mentores são essenciais, porém você também tem que encontrar um relacionamento com pessoas inspiradoras em um nível diário / tangível. Minha esposa e filha me inspiram. Eu quero que elas se envolvam em tudo que faço, incluindo o meu negócio e minhas paixões. Muitos dos meus colegas blogueiros me inspiram. Alguns blogueiro  que estão em lugares semelhantes, e que continuamente me inspiram são Glen Allsop, Corbett Barr, Everett Bogue, and Grant Peele.

14. Você não precisa de tanto dinheiro quanto você acha que precisa. Outra revelaçãoque chegou em minha vida no ano passado mais ou menos. Você realmente “precisa” de muito, muito menos do que você pensa. Há pessoas solteiras que viajam e vivem com 5.000 dólares por ano. Há famílias de 5 integrantes que comem com 100 dólares/mês. Como cultura, nós absolutamente desperdiçamos. Eu sei que Courtney e eu desperdiçamos. É simples assim. (Sem emprego formal desde dezembro percebo cada vez mais a verdade nessa aqui.)

15. Dinheiro não compra felicidade, mas compra todo o resto! Esta é a minha maneira divertida de dizer que eu gosto de dinheiro. Eu quero um monte de dinheiro. Mesmo sendo verdade, não deixe o # 14 enganá-lo. Eu quero a minha família viva uma vida notável, mas ainda segura. Eu raramente me preocupo com dinheiro agora, mas eu quero tudo menos eliminá-lo como um problema completamente. Eu quero ser capaz de concentrar minha vida em doar nos próximos anos, sendo ainda capaz de ter uma renda. Mas, mesmo com dinheiro, eu quero garantir que abracemos…

16. Experiências quase sempre ganham das posses materiais. Eu não me importo de gastar dinheiro (você também não deveria), mas a chave é fazê-lo conscientemente. Para mim, o gasto consciente está concentrado em experiências em 90-95% das vezes e de 5-10% das vezes em coisas efetivamente. Até os últimos anos, eu tinha essa idéia ao contrário. Eu gostava de falar sobre como eu amei “experiências”, mas eu gastava meu dinheiro em coisas. Eu quero manter o foco nas experiências seja fazendo  20 mil por ano ou 200 mil por ano. * Nota: A menos que estejamos falando de um iPhone. Sério, você já viu isso? * (Andava pensando nisso nos últimos dias, nas escolhas que fiz e nas que outros próximos fizeram. Também quero aumentar o número de experiências…)

17. Foque a maior parte da sua energia em alavancar seus pontos fortes, e não em melhorar pontos fracos. Eu toquei nisso no # 11, mas não se aplica apenas a nossa abordagem à educação. Quando pensamos sobre nós mesmos, muitos de nós tendem a tentar trabalhar as próprias fraquezas. Ao fazer isso, limitamos o tempo que gastamos em alavancar nossas forças. Eu não estou sugerindo ignorar as áreas em que você precisa melhorar, mas cada vez que  foquei  a maior parte da minha energia em meus pontos fortes (sem ignorar totalmente outros áreas), eu consegui resultados muito melhores, mesmo dentro de minhas fraquezas. É um assunto ou perspectiva positiva e motivação sustentada. Realmente funciona. (Uma abordagem integral é interessante. O Ken Wilber diz que é importante ao menos reconhecer e conhecer o maior número de pontos fracos possíveis para assim ser possível tomar decisões melhor informadas sobre as coisas. Eu concordo.)

18. Seja a mudança que você quer ver no mundo. Sim, eu sei … um pouco foo foo. Mas essa é uma boa. Se você está tentando converter as pessoas batendo nas portas e distribuindo panfletos, você está fazendo errado. Vai ser sempre uma batalha difícil. Tente ser modelo para as pessoas. Tente impressionar … tente inspirar. Use suas ações para me mostrar não só o como mas o por que. (Essa é uma das grandes. Aprendi isso já há alguns bons anos e tenho mais certeza disso a cada dia.)

19. A resposta será sempre não, se você não perguntar. Sério, se você quer algo você tem que pedir. Não seja um canalha. Peça genuinamente e peça educadamente. Se você simplesmente perguntar … você ficará surpreso com mais freqüência do que se não o fizer.

20. Quanto pior eu como, menos produtivo eu sou. Quanto menos produtivo eu sou, pior eu como. Também, eu percebi que me sentir como merda numa base regular não é motivação suficiente para comer de forma mais saudável. Triste, mas verdadeiro. E eu acho que não estou sozinho nessa. A maioria de nós sabe que é a causa de tantos problemas, ainda assim não mudamos. Você não consegue sair da dívida, porque “você deve”. Você não come de forma saudável e faz exercício físico, porque “é bom para você”. Encontre sua motivação (estou falando comigo mesmo aqui). (Nota mental: testar a afirmatiiva com urgência e parar de comer mal, por favor!!!)

21. Habilitar os outros é o que realmente importa na vida. Eu quero habilitar. Eu quero habilitar a Courtney para ser a pessoa mais incrível  que ela possa ser. Eu quero ajudar a  Milligan a fazer quaisquer paixões que estejam lhe trazendo alegria (agora ela realmente gosta de brincar com sua bola de roxa, playgrounds, e tirar cochilos). Eu quero ajudar estranhos completos a ver oportunidades em suas próprias vidas que eles enterraram sob montes de coisas, dívidas e desculpas.

22. Dizer “não” educadamente é muito melhor do que dizer um sim meia-boca. Aprender a respeitosamente e educadamente dizer “não” é uma das habilidades que eu mais desejo. Especialmente no mundo online, eu tendo a querer dizer sim a tudo. Há tantas pessoas maravilhosas, oportunidades, projetos e feedback. Está tudo bem aqui, agora. Mas, eu tenho dito “sim” e em seguida, deixado muito as pessoas completamente na mão recentemente. Não é uma questão de estar “ocupado” ou ser “importante”. Todo mundo está ocupado e é importante. É uma questão de realmente querer dar o máximo nos projetos que posso fazer. Eu quero dar 110% ou 0%. Quero aprender a dizer “não” de uma forma as pessoas gostem. (Ando aprendendo essa há anos e é sempre um aprendizado.)

23. Há muito poucos problemas pessoais originais. As possibilidades são que milhões de pessoas passaram por qualquer problema que você possa ter. As possibilidades são que pelo menos, uma dessas pessoas está muito mais próxima do que você pensa. O problema é que nós pensamos que os problemas que possamos ter são únicos e presumimos que as pessoas próximas a nós que não entenderiam. Errado.

24. É ok ser um fã. Eu costumava rejeitar o conceito de ser um fã. Eu não queria ser visto como um seguidor. Eu não queria alguém me chamando de fanático. Eu queria pensar por mim mesmo. Agora, eu entendi que ser um fã é divertido. Eu gosto de torcer para o Packers. Eu amo a minha paixão masculina que tenho sobre o trabalho de Chris Guillebeau. Eu amo o tanto de paixão que o Eddie Vedder traz a cada canção. Eu adoro assistir ao Wine Library TV, embora eu nunca tenha provado um vinho na minha vida que eu tenha gostado. Eu amo o fato de que o Big Mike foi salvo pelos juízes na semana passada no American Idol … (menos?)

25. Quanto mais eu ajo como minha filha mais feliz eu sou. Quanto mais eu jogar, imitar, irritar, e perseguir a minha filha em um determinado dia… mais feliz eu sou quando eu vou para a cama à noite. O simples ato de ser bobo é um que perdei nos últimos 6-7 anos. Precisou de uma criança para lentamente infundir isto de volta em mim. Eu quero abraçar isso ainda mais.

26. Quando criança, eu nunca me preocupei com comida, água, abrigo, ou o amor. Eu nunca fui abusado ou negligenciado. Eu tive tudo que precisava e a maioria do que eu queria. Ambos os meus pais eram (e ainda são) muito trabalhadores, solidários, e com grandes valores. Quanto mais velho fico, mais percebo o quão insanamente afortunado isso me faz.

E é isso… tudo o que eu sei.

Então é isso. Esse é o post do Adam. Talvez no meu próximo aniversário eu faça uma destas também. Me parece um exercício bem interessante.

– Arte: “O Sopro” pastel sobre tela by Claudinei Bettiol

1. Ser pai (e mãe) é mais difícil do que você pensa. Antes de ter filhos, eu costumava me incomodar com crianças choramingando em aviões. Eu costumava pensar “Meu Deus, controle seu filho” em várias situações. Quão difícil pode ser isso? E agora… eu sei. Mesmo com apenas um (que, por acaso é um anjo em 95% do tempo) eu entendo. Não consigo acreditar quão facilmente consigo ficar frustrado às vezes. Não consigo imaginar aqueles com 3, 4 ou 5 anjinhos.

About these ads

Uma resposta

  1. [...] — Continue lendo em O Resumo da Ópera [...]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: